Assine, Siga, Curta, ajude! LorotaDigital

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Será que a pirataria prejudica tanto assim?


Nos últimos meses, Hollywood fez das tripas coração para lutar contra a pirataria online. Grande exemplo disso foi seu apoio ao SOPA, projeto de lei que poderia trazer muita censura à internet caso fosse aprovado.

O negócio é: a pirataria não traz um prejuízo tão grande para a indústria do cinema. Por outro lado, quando um longa demora muito para ser lançado no mercado internacional, isso sim pode prejudicar muito o lucro dos estúdios.

Pesquisadores na Faculdade de Wellesley, nos Estados Unidos, realizaram um estudo que comprovou que a pirataria de fato não causa nenhum dano ao mercado de cinema. Amantes de filmes sempre pagarão para ver os lançamentos que os interessam, já as pessoas que baixam ilegalmente as produções, são parte do público que não se deslocaria de casa para uma sala de projeção de qualquer forma.

Por outro lado, quando um filme demora demais para ser lançado em um mercado estrangeiro, aí as coisas se complicam. “Histórias Cruzadas” por exemplo, foi um fenômeno de bilheteria nos Estados Unidos, onde foi lançado em 10 de agosto de 2011.

Aqui no Brasil, o longa chegou no dia 3 de fevereiro de 2012. Seis meses de atraso praticamente, o que sem dúvida estimulou muitas pessoas a baixá-lo pela internet, uma vez que não tinham como ir aos cinemas e assisti-lo legalmente. Assim, essas pessoas não viram razão para, meio ano depois, reverem nos cinemas um filme do qual já haviam desfrutado.


E isso com “Histórias Cruzadas”, que sequer é um blockbuster. Imagine se os seis meses de atraso se aplicassem a “Os Vingadores” ou “O Espetacular Homem-Aranha”.

O mercado internacional tornou-se uma grande fonte de renda para Hollywood, especialmente hoje em dia, quando nem toda produção gera o retorno esperado. Ao invés de dedicar-se a acabar com a internet e oferecer subornos a políticos para isso, os executivos de estúdios deveriam talvez olhar um pouco para fora dos Estados Unidos… existe um mundo inteiro disposto a pagar para ver seus filmes, então que tal começarem a pensar em lançamentos simultâneos?

Fonte: Pirataria não machuca tanto lá do Blogs POP Cinema.